Movimento Parque Verde

Assina a Petição

 

 

 

segunda-feira, fevereiro 12, 2007

Nova lei


Portugal disse SIM à legalização do aborto. A nova lei vai ser aprovada na Assembleia da República, prometeu o Primeiro-Ministro.
Agora vamos esperar pelas consequências desta mudança, boas ou más veremos no futuro. A Dinamarca nunca foi tão falada em Portugal... o que me dá vontade de rir. Os exemplos são muito bons, mas não passam disso. Portugal não é a Dinamarca, nem a Holanda, nem a Finlândia, muito menos a Alemanha. Lá há abonos para ajudar as grávidas a não abortar. Lá há também aconselhamento médico para ajudar as mães a decidir. Será que Portugal vai ter isto tudo também? Oxalá que SIM. Há que combater a futura taxa de abortos, que não interessa a ninguém. Abortar à toa Não é progresso. E o SNS vai ter capacidade para responder a tantos casos?
.
Mas Hoje já é dia 12 de Fevereiro, o Sol já nasceu e com ele voltaram os problemas, problemas esses sim mais importantes para resolver. A economia, o desemprego, a saúde, a educação... são estes os problemas que os portugueses se preocupam e querem ver melhoras. Pois é, é o regresso ao Portugal real.

Comments on "Nova lei"

 

<Anonymous Anónimo said ... (2:24 da tarde) : 

estão a dizer que este problema social, de saúde, de justiça não é importante tão importante como todos os outros?

 

<Anonymous Anónimo said ... (2:56 da tarde) : 

"Portugal disse SIM à legalização do aborto."

Começar assim não me parece correcto.

Deveis saber que 60% dos eleitores portugueses votaram SIM à DESPENALIZAÇÃO do aborto ATÉ ÀS 10 SEMANAS.

São coisas BEM diferentes. E vocês são jovens diferenciados, que DEVEM saber que esta esta diferênça existe.

Se sabem, como penso que o sabem, estão a manipular - o que é muito pior.

Espero que, apesar de tudo, perante as vossas consciências, tenha votado de acordo com ela.

 

<Anonymous Pedro said ... (10:31 da tarde) : 

Há quem confunda "consenso social" com um agrupamento de 25% de cidadãos a pensar o mesmo...
Sejamos claros: apenas 25% dos portugueses com capacidade para votar aprovaram a alteração da lei do aborto!!!
Pedro

 

<Blogger Cristina said ... (12:44 da manhã) : 

Concordo com o "sim"
:)
beijinhus

 

<Blogger Marco MR said ... (1:53 da tarde) : 

Sr Pedro, pelo seu texto presumo que 60% da população estava incapacitada para votar.Independentemente de votar sim ou nao.A verdade nua e crua e q 60% da populacao está-se a marimbar po seu dever civico e previlegio de voto.Ate ao referendo podiamos pensar q era desilusao para com os politicos e uma forma de protesto para nao votar nuns e noutros, mas desta vez, nao era politica, era sobre sociedade, sobre familia, sobre vida.A RESPOSTA DOS 60% foi um nitido eu quero la saber, da um trabalhao ir votar.
O resto concordo com "portugal" votou "sim". Porque portugal e um todo. Ou entao nunca utilizariamos "Portugal" pq nunca existira uma opinião unanime em 10 milhões.

 

<Blogger JAM said ... (2:29 da tarde) : 

Não defendemos quem não vota. Agora que os partidos influenciaram o voto por um lado e afastaram as pessoas por outro, nao ha duvidas.
Portugal é um todo claro. Se fosse por aí nenhum referendo era valido. E o SIM ganharia sempre nesta situaçao mesmo com 50% de votos, por isso Portugal disse SIM ao aborto.

 

<Anonymous Pedro said ... (6:00 da tarde) : 

Sr. Marco:
Quem é que lhe disse que os partidos não têm nada que ver com isto? Onde é que você tem andado?
Desiluda-se homem, isto é denmagogia pura e enfiar pelos olhos dentro das pessoas que esta coisa "só" tem a ver com cidadania é ainada mais demagógico. A absatenção é o que é não por comodismo, mas sim por saturação e desilusão.
as pessoas estão desiludidas com esta porcaria toda.
Espero tê-lo ajudado a entender um bocadinho mais do que se passa à sua volta.

 

<Anonymous Pedro said ... (6:01 da tarde) : 

Não era absatenção era abstenção qu queria dizer.

 

<Anonymous Carolina said ... (6:09 da tarde) : 

Portugal não disse sim ao aborto. Disse sim à DESPENALIZAÇÃO do aborto/interrupção voluntária da gravidez até às 10 semanas por opção da mulher! Se algum de vocês foi votar via que era assim que estava explicita a pergunta.

Fico muito contente por esta alteração da lei do código penal e pela decisão dos portugueses.

 

<Anonymous Carolina said ... (6:22 da tarde) : 

Já agora, a abstenção é um acontecimento comum em muitos países, mesmo em países desenvolvidos. Nos EUA, mais de metade das pessoas não votam...é um facto. Simplesmente não querem saber. Gostava de saudar aqueles que votam e se interessam pela democracia!

 

<Blogger JAM said ... (7:20 da tarde) : 

Carolina olá! fiquei contente por te ver por aqui. :) volta mais vezes, da a tua opiniao. Bjos

Sim ao aborto, ou à despenalizaçao do aborto ate às 10 semanas however, como queiras... nao é essa a questao, mas ok obrigado pela correcçao.

Ao Pedro, concordo com ele quando diz que os partidos/politicos afastam as pessoas das urnas e neste referendo volto a repetir nem sequer deviam ter entrado nisto ok. Mas isso nao é justificaçao para nao se votar ou dizer que o referendo nao é valido porque nao votaram mais de 50% das pessoas. Nas autarquicas tambem mais de metade nao votou ou ja se esqueceram? nao foi por isso que os autarcas vencedores deixaram de ter credibilidade. Isso é uma treta, ate porque quem nao votou que votasse. Portugal disse Sim domingo como disse Nao em 1998, a mesma coisa.
Abraço e volte sempre.

 

<Anonymous carolina said ... (7:53 da tarde) : 

Pensando bem, acho que os partidos têm todo o interesse a participar neste referendo tal como todos os outros. O objectivo de um partido será mobilizar a sociedade a participar na solução dos problemas nacionais. Por isso o dever de um partido será convocar as pessoas a votar. O que é de certa forma triste é que alguns (quase todos) os partidos tentam manipular as pessoas para que votem de certa maneira. Neste referendo viu-se muito disso...mas enfim, política é mesmo assim.

Bjs para ti tb zé tó e a todos aqui do blog!

 

<Blogger JAM said ... (9:06 da tarde) : 

Oi Carolina!
Foi isso mesmo k aconteceu. As pessoas deviam pensar livremente sem pressoes num tema tao sensivel como este. Como tu dizes e bem o problema da abstençao é global, nao é so ca. Sei bem que ha muita gente k nao vota por nao lhe apetecer como diz o Marco mas a maioria acredito que continue a ser pela descrença que vêem à frente.
Bjos Carolina tenho de ir